“Não são palavras ao vento…” CARTA DAS LARANJEIRAS Alejandra Muñoz e José Mamede

Texto curatorial, apresentado sob o título “Além do tapume, da carta, do prêmio” por Alejandra Muñoz e José Mamede

Voltaire-Fraga-Fotografia-e-Cultura© Voltaire Fraga

Há seis décadas, Voltaire Fraga fez uma captura de longa exposição deste lugar, num instante noturno da Rua Chile. Talvez essa seja uma das imagens mais alegóricas do destino ora ambíguo, ora contraditório do palimpsesto em que se converteu a área de nascimento de Salvador. Em breve, a cidade começaria a se esvair das mãos dos principais elementos que essa fotografia anatomiza: os edifícios, os transportes, o comércio, a gente. Os prédios elevam-se simbolicamente, quase fundindo-se na escuridão superior, solenes em sua imobilidade, mas frágeis ante os novos arranha-céus modernos. Um bonde se perde na profundidade da rua, fugaz em sua dinâmica, mas desbravador de percursos cada vez mais distantes. A textura das pedras rasgadas pelos trilhos reflete o brilho ofuscante dos anúncios da Farmácia Chile. As pessoas são invisíveis, desmaterializadas, apenas manchas deixadas pelo fluxo dos passantes. Só o neón parece estar vivo enquanto todo o resto torna-se fantasmagórico. A atmosfera é da iminência de algo desconhecido que parece pesar sobre aquele presente. Do instante fotográfico vem a certeza daquilo que será recordado.

Intervencao-Carta-das-Laranjeiras

Hoje, o asfalto sepultou as texturas de outrora. A rua é apenas eixo viário e impessoal. Um tapume azul se ergue diante da persistência mineral do velho edifício dos Comerciários. Uma nova iminência se desenha alavancada por interesses desesperados por novidade mercadológica. Aquela fotografia de 1952, exercício de penumbra e reflexos, é mais um fantasma de um tempo de sutilezas. Hoje, a revitalização gentrificada resume as intenções de prioridades embrutecidas por objetivos cada vez mais cínicos. Assim, a fotografia de Voltaire Fraga é o testemunho incômodo de uma tragédia anunciada.

É nesse mesmo lugar que hoje 100 artistas visuais e fotógrafos da Bahia e do Brasil, a partir de uma convocatória aberta, oferecem uma possibilidade de reflexão sobre a iminência da perda de conquistas das últimas décadas. É esse mesmo lugar que hoje é ocupado com uma mobilização decorrente das reflexões e reivindicações encaminhadas à Secult na Carta das Laranjeiras.

A exposição é um meio para discutir a importância da esfera pública da cultura e da necessidade de continuidade das ações e projetos culturais de médio e longo prazo. É um ato de resistência cultural contra todas as tentativas de desmonte do sistema artístico em nome das prioridades políticas pragmáticas duvidosas. É uma proposta de expansão dos recintos tradicionais, do âmbito restrito das galerias e dos museus. É a redenção da dignidade da rua como lugar de encontro muito além do engajamento de sofá e do anonimato confortável das redes sociais. Não são palavras ao vento: são objetos artísticos que educam nossa sensibilidade sobre os tempos que vivemos. É arte que ensina uma dimensão de cidadania brasileira, que revela uma intensidade máxima da experiência baiana, que condensa o potencial material e simbólico da nossa sociedade soteropolitana.

14568014_890468404388575_8869656662819883459_n

Fotos coloridas © Carta das Laranjeiras

____________________________

Participam do ato Carta das Laranjeiras 100 artistas visuais e fotógrafos de todo o Brasil, cedendo seus trabalhos para a mostra coletiva no Centro Histórico de Salvador / BA que em protesto pelo desmonte das políticas públicas.

SELECIONADOS CONVOCATÓRIA CARTA DAS LARANJEIRAS:
1 Adelmo Santos
2 Adenor Gondim
3 Águeda Mascarenhas
4 Alberto Bitar
5 Aldemir vieira
6 Alex Oliveira
7 Alexandre Furcolin Filho
8 Alvaro Villela
9 Amarildo Correa
10 Ana Paula Albuquerque
11 André Gonçalves
12 André Motta de Lima
13 André Penteado
14 Andréa Sechini
15 Anna Fadul
16 Armando Queiroz
17 Berna Reale
18 Bruno Novaes
19 Carlos Corrêa Ribeiro
20 Célia Aguiar
21 Claudia Tavares
22 Coletivo Tríptico
23 Cristina Cenciarelli
24 Cristina Damasceno
25 Daniel Antonio
26 Dôra Araújo
27 Edgard Oliva
28 Edson Carvalho
29 Eduardo Queiroga
30 Elis Rizzo
31 Entreaspas (Coletivo)
32 Euler Paixão
33 Fábio Duarte
34 Fábio Gatti
35 Fernando Gomes
36 Fernando Naiberg
37 Francisco Santos
38 Gabriel Bicho
39 Gentil Barreira
40 Gilucci Augusto
41 Gilvan Barreto
42 Giovani Rufino
43 Grupo Úbere
44 Gui Galembeck
45 Guilherme Bergamini
46 Gustavo Quintella
47 Hirosuke Kitamura
48 Ieda Marques
49 Isabel Gouvêa
50 João Maciel
51 José Diniz
52 Kelvin Marinho
53 Lara Perl
54 Leonardo Costa Braga
55 Leonardo Savaris
56 Lívia Auler
57 Lúcia Sampaio
58 Luiz Baltar
59 Luiz Grillo
60 Márcio Lima
61 Marcos Freire
62 Maria Luiza da Gama e Silva Foz
63 Mariana Raphael
64 Mario Grisolli
65 Maurício Freitas Costa
66 Melissa Lee Waewick
67 Micael Aquilah
68 Nadja Dulci
69 Nair Benedicto
70 Nelson de Castro
71 Neyde Lantyer
72 Patrícia Gouvêa
73 Paula Geórgia Fernandes
74 Paulo Coqueiro
75 Pedro Cunha
76 Pedro David
77 Pedro Sales
78 Pepe Fiorentino
79 Péricles Mendes
80 Priscila Heeren
81 Rafael Martins
82 Rafael Roncato
83 Raoni Gondim
84 Ravena Sena
85 Renata Voss
86 Ricardo Bezerra
87 Ricardo Labastier
88 Rita Barreto
89 Rodrigo Fiusa Wanderley
90 Rosa Bunchaft
91 Rose Steinmetz
92 Shirley Stolze
93 Tatiele Souza
94 Tibério França
95 Tito Ferraz
96 Ulyses Coelho de Castro
97 Valéria Simões
98 Vera Passos
99 Vinícius Gil (Purki)
100 Wendell Wagner